Programas

Programa de Educação Ambiental Lagoa Viva

O Programa de Educação Ambiental Lagoa Viva atua em diversos municípios do estado de Alagoas. Atualmente, são desenvolvidos projetos no entorno do Complexo Lagunar Mundaú-Manguaba, regiões da caatinga, da mata e litorânea, sul e norte, contabilizando 39 municípios e a capital de Alagoas.

Confira alguns dos projetos do Instituto Lagoa Viva relacionados aos resíduos sólidos: 

LIXO NA ESCOLA; MAIS SAÚDE, MENOS LIXO; CONSCIENTIZAR E EDUCAR: CRIANÇAS, DO MEIO AMBIENTE VAMOS CUIDAR!!!; DO LIXO AO LUXO; A PRÁTICA DOS 3 Rs; LIXO BEM TRATADO ESCOLA RECICLADA; ESCOLA E COMUNIDADE NO COMBATE AO LIXO; RECICLANDO LIXO; A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA A PARTIR DOS RESÍDUOS SÓLIDOS; RECICLANDO PARA O FUTURO; ESCOLA LIMPA AMBIENTE SAUDÁVEL; MODIFICANDO, LIMPANDO E PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE; MEIO AMBIENTE, LIXO E RECICLAGEM; RECICLOTECA – POLUIÇÃO E RECICLAGEM; O LIXO VIRA ARTE; O LIXO QUE VIRA VIDA; LIXO LEGAL; LIXO NO AMBIENTE ESCOLAR; RECICLAR É FUNDAMENTAL; VOCÊ UTILIZA, EU REUTILIZO E A NATUREZA AGRADECE; ESCOLA LIMPA: ALUNO SAUDÁVEL; APRENDENDO E BRINCANDO COM A RECICLAGEM; MEIO AMBIENTE/RECICLAGEM; RECICLANDO HÁBITOS E ATITUDES; O LIXO: CONSEQUENCIA E REAPROVEITAMENTO; NÃO AFUNDE NO LIXO; O LIXO; PROJETO MEIO AMBIENTE: “RECICLANDO LIXO PRESERVANDO VIDAS”; CUIDAR DO LIXO: UM EXEMPLO QUE COMEÇA NA ESCOLA; GERAR O MINIMO E RECICLAR O MAXÍMO (CRIAR E RECRIAR); RECICLAR PARA PRESERVAR: RECICLAR É PRECISO, RECICLAR É NECESSÁRIO, REDUZIR É FUNDAMENTAL; CONCIENTIZAR PARA PRESERVAR NOSSOS RECURSOS HÍDRICOS; LIXO CONSCIENTIZAR PARA MUDAR; 7 Rs; LIXO QUE NÃO É LIXO; LIXOTECA DO LIXO À APRENDIZAGEM; CRIAR, TRANSFORMAR E RECICLAR

Endereço: Rua Zacarias de Azevedo, 399, 3º andar, salas 309/310, Centro - Maceió/AL

Contato

Instituto Lagoa Viva

Telefone: (82) 3221-5189

Fax: (82) 3223-5170

E-mail: institutolagoaviva@hotmail.com

Site: http://institutolagoaviva.org/

Redes sociais: instlagoaviva.ilv (Facebook) / @ilvmaceio (Twitter)

 

Programa Alagoas Catador

O Programa Alagoas Catador foi criado objetivando a integração e articulação das ações do Governo Estadual voltadas ao fomento de organizações produtivas de materiais recicláveis e a melhoria  das condições de trabalho através da ampliação das oportunidades de inclusão social e econômica, da expansão da coleta seletiva de resíduos sólidos e da reutilização e reciclagem.

São desenvolvidas atividades de capacitação, formação e assessoria técnica, organização e apoio de redes de comercialização dos produtos reciclados, fomento ao desenvolvimento de novas tecnologias voltadas à agregação  de valor ao trabalho de coleta de materiais reutilizáveis e recicláveis.

Considerando o caráter participativo previsto no Plano Estadual de Résiduos Sólidos (PERS) e o princípio básico previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos quanto ao papel dos catadores na gestão dos resíduos, o programa Alagoas Catador apresenta relação direta com as ações para o planejamento e implementação das ações a serem previstas no PERS.

 

Projetos

Projeto Coleta Seletiva na SEMARH

O projeto de coleta seletiva que será implantado na Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH) tem como objetivos reaproveitar e reduzir o volume de resíduos na SEMARH, estimular e sensibilizar os funcionários em torno da coleta seletiva, bem como contribuir de forma solidária com as Associações e Cooperativas de Catadores na geração de renda.

A princípio as atividades serão desenvolvidas com a participação efetiva de todos os servidores envolvidos e será criada uma comissão gestora de implantação e de acompanhamento do projeto. A partir de então serão realizadas reuniões com os funcionários terceirizados aos quais compete recolher os resíduos de cada setor da secretaria.

Serão providenciados os materiais necessários para operacionalizar a coleta seletiva de resíduos orgânicos e inorgânicos, entre eles:

- Sacos plásticos e coletores em duas cores que irão identificar os resíduos inorgânicos e orgânicos;

- Coletores de copos descartáveis;

- Caixa de coletar papel em todas as salas para separar o papel a ser reaproveitado como rascunho do que irá ser reciclado;

- Coletores de pilhas, baterias e eletroeletrônicos de pequeno porte.

O projeto também inclui avaliações e vistorias periódicas para a verificação do cumprimento das rotinas estabelecidas para a seleção, coleta e destinação dos materiais.

A comissão irá se reunir mensalmente após a implantação e a execução do projeto para realizar a avaliação do projeto, reformular as estratégias e redirecionar as ações quando necessário. 

 

Projeto em Educação Ambiental sobre o Risco Aviário

O Projeto em Educação Ambiental sobre o Risco Aviário surgiu em virtude da problemática envolvendo aves e aeronaves no entorno do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. A adoção de medidas educacionais voltadas principalmente às crianças e adolescentes, tem como intuito conscientizar estes devido ao seu potencial multiplicador e transformador, em busca de um novo patamar de consciência socioambiental.

Nesse sentido, o projeto tem como principais objetivos despertar no público estudantil o interesse pela proteção do meio ambiente local e global, expandindo a campanha de educação ambiental realizada no Aeroporto Internacional de Maceió, Zumbi dos Palmares, denominada “Xô Carniça!”, identificar os focos atrativos de aves relevantes ao risco à aviação e modificar hábitos relativos ao descarte do lixo doméstico.

As atividades serão desenvolvidas no período de 02 (dois) anos, com estabelecimentos de ensino locais, tanto da rede pública municipal e estadual, como também da rede privada.

 

Projeto Risco Aviário

A Fundação Universidade de Brasília (FUB) no cumprimento de suas atribuições de educação, pesquisa e extensão do conhecimento acadêmico, técnico e científico firmou Termo de Cooperação na área de meio ambiente com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO). No âmbito deste instrumento de cooperação foi desenvolvido o Programa de Elaboração e Execução dos Planos de Manejo e Pesquisa da Fauna nos Aeroportos Brasileiros, como medida de redução dos riscos de acidentes com animais em ações de pouso e decolagem. Dentre os Aeroportos, o Aeroporto Internacional de Maceió/Zumbi dos Palmares foi contemplado por esse Convênio. 

O resíduo inservível, ou lixo, jogado em lugares inadequados, bem como a operação irregular de cortumes e matadouros, podem atrair aves para o local, elevando, desta forma, os riscos de colisões desses animais com aeronaves. Os aeroportos são sempre construídos em regiões afastadas dos centros urbanos e também dos locais destinados aos depósitos de lixo, a fim de evitar a proximidade das áreas reservadas a esse fim, bem como de indústrias e matadouros, pois todas essas atividades são potenciais atrativos de grandes quantidades de aves.

Considerando, ainda, o afastamento dos aeroportos dos centros urbanos e, também, dos locais destinados aos depósitos de lixo, é importante que as áreas reservadas a esse fim sejam localizadas o mais afastado possível dos aeroportos, assim como indústrias e matadouros que, pela sua atividade, atraem grandes quantidades de aves. No Brasil, o agravamento da situação de risco de colisão de aeronaves com urubus durante os procedimentos de aproximação, pouso e decolagem é atribuído, principalmente, ao desequilíbrio ecológico causado pelas áreas destinadas à deposição de lixo urbano, aterros sanitários e lixões, além de matadouros, curtumes e pólos pesqueiros, que operam contrariando a legislação vigente, no entorno dos aeroportos. Normalmente, os lixões não apresentam nenhum tipo de tratamento para os resíduos sólidos ali depositados, que apenas são dispostos a céu aberto. Se você jogar lixo em qualquer lugar, as aves serão atraídas para lá! Isso representa um grande perigo para os aviões.